PARCERIAS SÓCIOS AEAMVI

Associados AEAMVI agora podem desfrutar de toda estrutura de lazer da ADHering com direito a desconto na mensalidade, seja nos planos individuais ou familiar. Para se associar ao tradicional clube da Velha, os interessados devem retirar a autorização do convênio na secretaria da AEAMVI e apresentar na secretaria do Clube. A ADHering oferece uma ampla estrutura, com amplo espaço de lazer, em meio a um cenário bem arborizado e tranquilo. Churrasqueiras, piscina aquecida, lanchonete, cancha de bocha, quadra de tênis e espaço gourmet completam a estrutura do clube. Associados da Aeamvi Interessados no convênio podem agendar uma visita às instalações para conhecer o que está à sua disposição. Valores para Associados da AEAMVI: Plano Individual (solteiros e sem filhos): Mensalidade de R$ 99,00 até a data do vencimento e de R$109,00 após o vencimento. Plano Familiar (cônjuge, esposa e filhos até 21 anos. Se estiver cursando a faculdade, até 24 anos): Mensalidade de R$ 131,00 até a data do vencimento e de R$ 145,00 após o vencimento. Demais informações sobre o convenio, entre em contato com a Secretaria da AEAMVI, pelo telefone 3340.2094 ou pelo e-mail: aeamvi@aeamvi.com.br. Para saber mais sobre o clube, acesse: www.adhering.com.br.
A Associação dos Engenheiros e Arquitetos do Vale do Itajaí (AEAMVI) e a Universidade Regional de Blumenau (FURB) firmaram convênio que possibilita a concessão de descontos e de bolsas de estudos para realização de pós-graduação dos associados da entidade. Os associados interessados em saber mais, devem entrar em contato com a diretoria da AEAMVI pelo e-mail: aeamvi@aeamvi.com.br.
Parceria da AEAMVI com a Novo Certificado Digital. Associado em dia com sua anuidade tem direito a desconto especial.
Descontos especiais em cursos da area de engenharia na instituição de ensino PROWAY.

PARCERIA PELO CONFEA

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e o Sistema Confea/Crea e Mútua possuem uma parceria para facilitar o acesso de profissionais registrados aos cursos e às normas técnicas brasileiras e do Mercosul. Todos os profissionais adimplentes com o Crea têm descontos especiais para consultar as normas técnicas e se inscrever em cursos ofertados pela Associação.

Acesso gratuito e com descontos mais expressivos às normas técnicas em vigência no país e até mesmo no Mercosul, bem como a cursos oferecidos pela ABNT. Valorização da participação do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia no debate, formulação, acompanhamento e publicação das normas técnicas. Estas são algumas das vantagens possibilitadas pelo convênio assinado em novembro do ano passado entre o Confea, os Creas, a Mútua e a Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT.

Profissionais registrados no Sistema Confea/Crea passam a contar com o acesso aos bancos de dados digitais ABNTColeção e ABNTCatálogo. Assim, todos terão acesso aos “links” digitais em 900 pontos distribuídos nas sedes do Confea, dos Creas e suas inspetorias, da Mútua e das Caixas de Assistência dos Profissionais dos Creas e das entidades de classe registradas e homologadas no Sistema.

Fundamentais para o devido exercício legal da profissão, estas normas chegam a custar algo em torno de R$ 400. Em alguns casos, para profissionais registrados no Crea e na Mútua, o desconto chega à ordem de 66%. Em outros, a Norma passa a ser oferecida de modo gratuito. É o caso da NR 16455:2016 para Vasos de Pressão – Metodologia para inspeção não intrusiva. Para conhecer esta e outras normas disponíveis é preciso apenas preencher um cadastro no portal do Confea. Acesse

abntcatalogo.com.br/confea

É possível ainda ao profissional obter descontos de 50% nos cursos praticados pela ABNT em sua grade de capacitação.

Acordo de cooperação assinado por representantes do Confea e do CNMP visa à adaptação dos prédios públicos às exigências da Lei de Acessibilidade – 10.048/2000 – que garante facilidade de acesso às pessoas portadoras de algum tipo de dificuldade de locomoção e/ou deficiência. Assinado em 12 de maio de 2015, e com vigência de cinco anos, o documento determina a implantação de ações complementares, como vistorias e emissão de relatórios, elaboração de planos de trabalho para ações conjuntas, intercâmbio de informações e conhecimentos sobre temas de acessibilidade, incluindo cursos, palestras e reuniões de trabalho.

www.cnmp.mp.br

Um termo de cooperação assinado pelo Confea e pelo DNIT no dia 19 de dezembro de 2018 prevê o compartilhamento de informações entre os dois órgãos, com vistas a proteger a sociedade, valorizar a atividade profissional, aperfeiçoar a segurança do sistema e otimizar a fiscalização. A partir do termo, cabe ao Confea e aos Creas – entre outros compromissos – prestar informações quanto à situação de regularidade de profissionais e empresas e promover eventos técnicos, palestras, encontros e seminários para auxiliar o DNIT no cumprimento dos objetivos de interesse comum. Ao DNIT cabe disponibilizar informações referentes a obras e serviços realizados pela instituição (ou por quem lhe preste serviços) e contratar/admitir – para a execução de obras e serviços técnicos nas áreas da Engenharia, Agronomia, Geologia e Meteorologia – somente pessoas físicas ou jurídicas que comprovem regularidade perante o Crea. O DNIT também se compromete a manter, em seu quadro de funcionários, responsável técnico com ART de Cargo e Função; a exigir em todos os serviços e obras contratados a apresentação das ARTs devidas; a informar e a consultar o Crea sobre qualquer irregularidade constatada por sua equipe relativa a profissionais das áreas da Engenharia, Agronomia, Geologia e Meteorologia; e a utilizar a base de dados do Sistema Confea/Crea para identificar e conferir informações quanto à situação de regularidade de profissionais e empresas. www.dnit.gov.br
Com sede em Londres, o Centro Global de Anticorrupção na Infraestrutura é uma organização independente sem fins lucrativos que proporciona assistência em instrução, identificação e prevenção de corrupção na infraestrutura, na construção e em outros setores da Engenharia. Por meio de alianças firmadas com organizações de diversos países, o Giacc auxilia na implantação de medidas anticorrupção em governos e empresas. A aliança com o Confea foi formalizada em maio de 2011. www.giaccentre.org
O Confea e o Mapa firmaram acordo de cooperação técnica em 11 de outubro de 2018. A partir da assinatura do documento, ambas as instituições se comprometeram a desenvolver ações referentes aos temas de regulação, intercâmbio de informações sobre fiscalização e colaboração mútua para desenvolvimento de capacidades dos profissionais de ciências agrárias em defesa da agropecuária. O acordo tem vigência de quatro anos, podendo ser renovado pelo mesmo período. Saiba mais. www.agricultura.gov.br
Assinado em 13 de dezembro de 2018, um acordo de cooperação técnica entre Confea e MDIC prevê a simplificação e a gratuidade do registro dos microempreendedores junto aos Creas, a promoção de cursos de capacitação técnica e padronização do processo de fiscalização e exigência da ART. Saiba mais. www.mdic.gov.br
Em fevereiro de 2017, o Confea assinou um termo de compromisso junto à Ordem dos Advogados do Brasil, com o qual se compromete a observar plenamente os princípios do Estatuto da Ordem, principalmente no que se refere aos honorários de advogados que prestam assessoria jurídica no órgão e, também, excluindo oficialmente o controle de ponto e registro de frequência para advogados da Procuradoria Jurídica. Saiba mais.
Um protocolo de intenções entre o Confea e a OEA foi assinado em 2004 imbuído de um espírito de colaboração e cooperação entre as duas entidades no sentido de reunir as duas engenharias e, de certa forma, permitir a mobilidade dos engenheiros brasileiros e angolanos no espaço da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). O protocolo prevê intercâmbio de informação científica, técnica, e de estudos e projetos ligados ao ensino, à concepção e execução no âmbito da Engenharia. www.ordemengenheiros.ao
O Confea mantém junto à Ordem de Engenheiros de Portugal (OEP) um termo de reciprocidade que permite aos profissionais da Engenharia brasileiros e portugueses requererem o registro recíproco. O documento isenta os brasileiros de prestarem as provas de admissão que a OEP exige dos candidatos portugueses, e esses, por sua vez, não precisam revalidar seu diploma português junto ao Ministério da Educação brasileiro para atuar no país. Acesse a íntegra do termo e seus aditivos, conheça a história das negociações e saiba como se beneficiar dessa parceria. www.ordemengenheiros.pt